Cães e gatos também têm problemas no coração; conheça sintomas

Cães e gatos também podem desenvolver doenças cardíacas e, assim como nos humanos, o diagnóstico precoce é  importante para o tratamento.

Entre os sintomas nos animais estão cansaço fácil, mucosas arroxeadas, falta de ar, tosse, falta de apetite, relutância ao exercício e desmaios.

As doenças cardíacas geralmente atingem pets de meia idade, após os sete anos. Segundo a veterinária Caroline Bettini, da SPet junto a Cobasi Teodoro Sampaio, em São Paulo, algumas raças são mais suscetíveis, como as gigantes. Também há predisposição em poddle, cocker, cavalier king, bulldog e boxer. Em gatos, persa,
ragdoll, maine coon, sphynx e british short hair.

“As cardiopatias mais comuns em cães consistem nas que levam ao aumento do tamanho do coração (cardiomiopatia dilatada), aumento do volume das câmaras do coração (cardiomiopatia hipertrófica), doenças de válvulas cardíacas, estenoses, insuficiência cardíaca congestiva e infecção do revestimento interno do coração”, diz. “Em gatos, trata-se da cardiomiopatia hipertrófica e dilatada.”

Visitas periódicas ao veterinário e exames ajudam a identificar a doença rapidamente. O diagnóstico é feito a partir de um exame clínico detalhado. O veterinário avaliará a ausculta cardiopulmonar, pulsação, coloração de mucosas e hidratação, entre outros parâmetros. Associado a isso, o médico contará com exames complementares de imagem –como radiografia de tórax, eletrocardiograma, ecodopplercardiograma–, além de pressão arterial e de sangue.

O tratamento inclui medicação de uso oral, controle da pressão, dieta específica e manutenção do peso.

Para conscientizar os humanos para os riscos das doenças cardiovasculares, o Dia Mundial do Coração é lembrado no dia 29, e o mês é conhecido como Setembro Vermelho. O alerta, no entanto, vale também para a saúde dos pets.

*

Leia também:

O que é a dirofilariose e como o verme do coração pode afetar seu cachorro

*

Siga o Bom Pra Cachorro no Facebook, no Instagram ou no Twitter.

Quer ver a história do seu pet publicada ou quer sugerir reportagem? Mande para bompracachorroblog@gmail.com  ou marque no Instagram