Cachorro comparece a julgamento como vítima de maus-tratos na Costa Rica

Lívia Marra

-Atualização: Acusada é absolvida

Campeão, um cachorro de dois anos, se tornou o primeiro animal na América Latina a assistir como vítima de maus-tratos ao julgamento de sua ex-tutora.

A audiência, na cidade costa-riquenha de Atenas, aconteceu na segunda-feira (22). Nessa etapa inicial, os envolvidos no caso foram ouvidos.

Dócil, Campeão ficou quietinho —com exceção de um pequeno latido— na sala do tribunal, que estava cheia de pessoas que foram apoiar a vítima, conforme a agência AFP.

Tudo começou em 2017, quando o cachorro tinha seis meses e se chamava Tyson. Ele foi amarrado com uma corda que afundou na carne de seu pescoço, estava desnutrido, magro e cheio de pulgas. 

No tribunal, a presidente da Fundação Ateniense de Ajuda a Animais Abandonados, Dora Castro, afirmou que foi alertado sobre a situação do cachorro por um dos irmãos da dona, de acordo com a agência de notícias.

O cãozinho, então, acabou resgatado, levado ao veterinário e medicado. A queixa contra a mulher foi apresentada em 2018.

Conforme lei promulgada recentemente na Costa Rica, maus-tratos podem ser punidos com prisão de seis meses a três anos no caso de morte do animal; e de seis meses a dois anos, além de multa, em caso de crueldade, segundo a imprensa local.