Em dois meses, hospital público para pets faz 1.500 atendimentos no DF

djoogoa (/
Lívia Marra

Em dois meses de funcionamento, o Hospital Veterinário Público do Distrito Federal já fez mais de 1.500 atendimentos. Da inauguração, em 5 de abril, até a última segunda (4) haviam sido realizadas 1.400 consultas e 160 cirurgias.

Ali, cães e gatos podem passar por consultas, fazer exames e cirurgias —a unidade não faz castrações, segundo o governo do DF.

Localizado no Parque Lago do Cortado, em Taguatinga, o hospital atende de

segunda à sexta, das 8h às 17h. As senhas são entregues das 8h às 10h, e o tutor deve apresentar CPF, carteira de identidade e comprovante de residência em seu nome.

Apesar de ser obedecida ordem de chegada, os bichinhos com quadro clínico mais grave têm prioridade.

Assim como hospitais públicos em São Paulo, o espaço é gerido pela Anclivepa (Associação Nacional dos Clínicos Veterinários de Pequenos Animais).

De acordo com o governo do DF, o investimento previsto para o primeiro ano de atividade do hospital era de R$ 1 milhão, mas houve um aditivo do mesmo valor —a verba é do Ibram (Instituto Brasília Ambiental).

SÃO PAULO

A capital paulista tem, atualmente, três hospitais veterinários gratuitos, gerenciados pela Anclivepa-SP.

Os endereços são: av. General Ataliba Leonel, 3.194, Parada Inglesa (zona norte), tel. 2478-5305; av. Salim Farah Maluf, s/n ° (lado par, esquina com a rua Ulisses Cruz), Tatuapé (zonal leste); tel. 2291-5159; e rua Manuel Jacinto, 249, Vila Morse (zona oeste), tel. 3530-6008.

A unidade mais nova, inaugurada em janeiro na zona oeste,  não é custeada pela prefeitura, diferentemente das outras. Deverá ser mantida com doações de pessoas físicas e patrocínio de empresas.

(Foto: Tony Winston/Agência Brasília)