Doença de pele em pet incomoda, e cresce procura por especialista, aponta pesquisa

Lívia Marra

(Foto: SXC)

Donos de animais de estimação estão recorrendo cada vez mais a especialistas para tratar os bichinhos. 

Doenças de pele incomodam, aponta pesquisa feita pela Zoetis –companhia global de saúde animal– com 400 veterinários no país.

De acordo com o levantamento, 85% dos veterinários notaram aumento no número de proprietários em busca de dermatologistas –inclusive em hospitais universitários. E, segundo os veterinários, a coceira representa ao menos 40% do total de queixas dos proprietários de cães que são levados ao consultório.

Entre os entrevistados, 63% dos clínicos gerais disseram que a cada dez atendimentos realizados, entre 3 a 5 são relacionados à dermatologia. 

Já para 75% dos especialistas que respondem à pesquisa, a coceira foi o principal sintoma de pelo menos 1 a cada 2 pets atendidos.

Como muitos bichinhos dormem na cama, os donos têm o sono afetado com o coçar sem parar do animal, diz a empresa, com base na pesquisa.

“O proprietário traz hoje um ‘filho de pelos’ ao consultório. Enquanto, antigamente, ele trazia o cachorro do quintal que tinha uma ferida grande, que tinha uma área extensa sem pelos, agora ele traz o animal que se coça à noite, dorme com ele na cama e atrapalha seu sono”, diz Regina Ramadinha, dermatologista parceira da Zoetis.

Outro fato apontado pelos tutores ao buscar tratamento é o surgimento de feridas na pele, causadas pelo ato de o animal se coçar ou morder o local.

A irritação na pele pode ocorrer por diversos motivos –de pulgas a alergias, causadas por diferentes fatores. Por isso, se seu cão estiver com coceira, vermelhidão ou perdendo pelo, a recomendação  é procurar o veterinário de confiança para que seja feito o diagnóstico correto e iniciado o tratamento.