Cachorro morre asfixiado com saco de salgadinho, e tutora faz apelo

“Não há forma de descrever a tristeza, a culpa e o vazio que sentimos nos nossos corações e na nossa casa.” Assim, Christina Young lamenta a morte de seu cachorro, sufocado com um saco de batatinhas.

A tutora afirma que se sentiu na obrigação de compartilhar a história em rede social para evitar outros casos.

Petey, que estava sozinho na ocasião, não resistiu ao salgadinho. O pit bull pegou o pacote em um balcão, comeu as batatas, mas, na tentativa de alcançar migalhas, acabou com o saco preso ao focinho, o que levou à asfixia.

Christina afirma que Petey era esperto e que não conseguia entender por que ele não removeu o pacote com as patinhas. Mas, diz também, fez algumas pesquisas e descobriu que esse tipo de morte não é incomum. Há frequentes relatos de asfixia também com sacos de cereais, de pão, de pipoca. Os níveis de oxigênio caem em alguns minutos e, mesmo com o tutor em casa, pode não se dar conta do que está acontecendo.

Em homenagem a Petey, a mulher pede que tutores tenham cuidado extra e repassem a informação, para evitar novas tragédias.

“Você foi o melhor menino do mundo”, escreve Christina se referindo ao pit bull.

PERIGO DENTRO DE CASA

Além de saquinhos, plantas, fios e produtos de limpeza são alguns dos perigos para os animais e que podem ser facilmente encontrados dentro de casa.

Cães são curiosos, às vezes comilões, e acabam mordendo ou mexendo onde não devem.

Filhotes, especialmente, devem ser constantemente monitorados. Mas animais adultos também precisam atenção.

Para evitar problemas, não deixe fios soltos, armários abertos, latas de lixo sem tampa, piscinas descobertas ou plantas tóxicas ao animais —incluindo azaleias e violetas— em locais acessíveis a eles.