Cão lançado sobre muro é adotado; ‘brincalhão e adora lambeijos’, diz tutora

Por Lívia Marra

Brincalhão, adora dar lambeijos e ama petiscos. Assim é Logan, o cachorrinho que ganhou nova vida neste mês, depois de ter sido arremessado sobre o muro de um posto de combustíveis em São José do Rio Preto, interior de São Paulo.

Adotado após as imagens da agressão se tornarem públicas, o cãozinho está totalmente adaptado à casa, afirma a advogada Luciana Vianna Tavares, 30.

As cenas do arremesso, captadas por uma câmera de segurança, foram compartilhadas em rede social. Mostram uma pessoa se aproximando do muro, que teria cerca de dois metros de altura, e lançando o cachorro para o outra lado. Após o impacto, o bichinho se levanta e parece desnorteado. Na ocasião, teve ajuda de um homem que estava próximo.

X

O caso comoveu e chamou a atenção de Luciana, que mora na mesma cidade e também é tutora de Dara, de aproximadamente cinco anos.

“Eu estava rolando a página do Facebook quando vi a foto dele e a notícia. Já vi inúmeros casos de abandono e de maus-tratos e sempre fico muito sensibilizada. Mas desta vez me tocou ainda mais, e na mesma hora falei com meu marido sobre minha vontade de ficar com ele. Em seguida acabei vendo o vídeo dele sendo arremessado. Tive mais certeza de que ele merecia um lar de muito amor. E sabia que lá em casa ele teria muito amor”, afirma.

A adoção ocorreu no dia 15, e o cachorro não demonstrou problemas de adaptação. “Parecia que era de casa já”, lembra a advogada.

Câmera flagra cão sendo arremessado; na imagem, ele se levanta após a queda

Câmera flagra cão sendo lançado por muro; na imagem, ele é visto após a queda (Reprodução)

Ganhou o nome de Logan “porque é um guerreirinho forte” e já foi castrado. A estimativa é de que o cãozinho tenha menos de um ano.“É um lindão”, afirma a tutora. “Pode fazer dez minutos que ele me viu e logo pula e beija como se fizesse meses que não via.”

Mas, como irmão é irmão, Logan tem um pouquinho de ciúme da Dara, especialmente na hora da alimentação. “Tenho conversado muito com ele, colocado os dois pertinho, juntos pra comer, para ele poder entender que é irmãzinha e que tem que dividir”, diz Luciana.

Dara está com o casal há aproximadamente três anos. “Nós a adotamos numa feira. Ela sofria maus-tratos, por isso foi tirada do antigo lar. Dara requer cuidados especiais, toma dois remédios controlados por dia. Mas ela é muito boazinha e tranquila”.