Tem um filhote em casa? Saiba dicas

Por Lívia Marra

Filhotes são fofos e irresistíveis, mas precisam ser supervisionados e educados para que o convívio seja harmonioso.

Assim como os bichinhos precisam se adaptar, a casa também deve ser preparada para recebê-lo.

Nessa fase, mordidas em mãos e pés, destruição de objetos e móveis e xixi fora do lugar costumam ser os principais problemas, segundo Cassia Rabelo, consultora e franqueada da Cão Cidadão.

OS CUIDADOS

Se você está pensando em ter um peludinho em casa, lembre-se que o ideal é que filhotes tenham convivência com a mãe e irmãos de ninhada entre 45 e 50 dias de vida. “Essa convivência trará importantes habilidades sociais para a sua vida adulta”, diz Cassia .

Com a chegada do bichinho, é preciso pensar na segurança dele dentro de casa. Elementos que podem ser perigosos —como fios e produtos tóxicos— devem ficar longe dos olhinhos e do alcance do animal.

Também é preciso cuidado com a alimentação e lazer. “É importante ter o alimento que ele já estava adaptado a comer, além de brinquedos específicos para filhotes.”

MORDIDAS? XIXI PELA CASA?

Cachorrinho gosta de morder mãos e pés das pessoas. Mas a brincadeira deve ter limites para que não se torne um problema quando ele crescer. Uma dica é oferecer ao animal itens que possam ser utilizados para ele se divertir “e dar vazão a esse comportamento”, afirma.

Para o treino para resolver o problema do xixi em lugar errado podem incluir a disposição adequada do banheirinho, limpeza correta quando fizer fora e recompensa dos comportamentos adequados.

“Com um treino consistente e um pouco de paciência, normalmente em poucas semanas o filhote já estará usando somente o seu banheirinho”, diz a especialista.

O QUE NÃO FAZER

Por mais arteiro que seja o filhote, ele nunca deve ficarconfinado, sem contato nenhum com pessoas, animais e estímulos. “Até os três meses de idade eles precisam ser expostos com cautela e de forma positiva a vários estímulos, pois esta é a fase de sociabilização primária, quando vão assimilar de forma muito consistente todas as experiências vividas. Quando o animal tem poucas experiências pode se tornar medroso ao extremo na vida adulta. Mas é importante sempre ter o auxílio e orientação de um médico veterinário para evitar riscos de contaminação, já que nesta fase o filhote também está sendo vacinado.”

A educação de filhotes é tema de um curso on-line da Cão Cidadão, dividido em nove módulos, com valor de R$ 48.