Confira sete dicas para evitar latidos em excesso

Por Lívia Marra

Cães podem latir como uma forma de dar algum aviso, por medo, ansiedade, excitação e até por tédio.

É a forma que eles têm para se comunicar, para chamar a atenção. Mas o latido excessivo pode incomodar e afetar o convívio social.

“O latido pode ser desconfortável, mas é uma forma de comunicação dos pets. Para o convívio social, é importante conhecer os motivos do problema para saber lidar da melhor forma possível”, diz a veterinária Karina Mussolino, gerente técnica de clínicas da Petz.

Se o latido sem motivo aparente for contínuo, o tutor pode estabelecer limites ao animal e, assim, evitar queixas dos vizinhos.

Confira dicas da veterinária:

– Diga “não”, “quieto” ou “silêncio” de forma firme quando o animal começar a latir sem um motivo evidente;

– Dê “parabéns” ou um pedacinho de petisco assim que ele obedecer ao que foi ordenado;

– O ideal é começar a treinar os pets a não latir por qualquer coisa desde filhote;

– Estimule o cão a fazer atividades físicas e mentais, já que muitos costumam latir quando estão com a energia reprimida;

– Fazer caminhadas, jogar bola e estar ativo vai ajudar o seu cão a gastar energia e regular o latido, além de trazer outros benefícios, como a satisfação, alegria e socialização;

 – Se o seu bichinho está latindo porque quer que você se levante e jogue algo para ele pegar, diga que não quer e não pode brincar. Ele tem de entender que há regras e momentos para ele;

– Muitos pets latem por se incomodar com algo externo. Nesse caso, limite o acesso dele às portas, janelas, quintais e portões. Faça com que ele fique nestes locais sob supervisão, para que seja advertido quando começar a latir.