Protetores levam 205 cães de Porto Rico para abrigos nos EUA e evitam eutanásia

Por Lívia Marra

Uma operação que reuniu diversos grupos protetores e contou com duas aeronaves transferiu 205 cães abandonados de Porto Rico para abrigos nos Estados Unidos.
Os trabalhos foram concluídos na quarta-feira (23), e os bichinhos serão colocados para adoção.

Em Porto Rico, muitos animais corriam o risco de serem submetidos à eutanásia.

“Os abrigos em Porto Rico não têm escolha”, disse Kimberly Alboum, da Humane Society dos EUA, à agência Associated Press. Segundo ela, a superlotação faz com que esses refúgios optem pela eutanásia por espaço, embora seja doloroso para as equipes.

Além das baixas taxas de castração, a crise econômica levou muitos moradores e deixarem seus animais para trás.

X

O problema do abandono é tão grave que uma área na região de Yabucoa ganhou o apelido de “Dead Dog Beach” (praia do cachorro morto).

E é principalmente aí que atua o Projeto Sato, grupo que se dedica a resgatar animais abandonados em Porto Rico –“sato” é como os locais chamam os cães de rua.

A fundadora do projeto, Christina Beckles, disse à Associated Press que há sinais de melhora na região, como resultado de uma campanha para esterilizar animais em Yabucoa.

Os bichinhos levados aos Estados Unidos saíram de um abrigo na região de Mayaguez, um área remota e que, com isso, dificultava adoções, e de um imóvel carente perto de Cabo Rojo.

Depois de passarem por avaliações de veterinários, os cães foram levados ao aeroporto de San Juan e embarcaram em duas aeronaves, dos grupos Wings of Rescue e Pittsburgh Aviation Animal Rescue.

Já em solo americano, os cachorrinhos –de diversos portes e idades– foram encaminhamos a abrigos, como o Animal Haven, em Nova York, e o Animal Rescue Fund of the Hamptons.

Apesar de protetores já terem transferidos cães de Porto Rico, esta teria sido a maior operação já feita.