Cães são capazes de ‘falar’ com toda a clareza, afirma adestradora

Por Lívia Marra

Quem tem cachorro sabe: é fácil manter uma conversa com ele. Mas, com algumas técnicas, os animais podem aprender sinais específicos para pedir ou pegar alguma coisa, o que facilita essa comunicação.

Isso para o pet indicar uma brincadeira com a bolinha, quando quer descansar ou está com vontade de passear. No caso de pessoas com dificuldade de locomoção, o animal pode ser treinado para pegar as chaves ou algum outro objeto.

Segundo Patricia Patatula, adestradora e consultora comportamental da equipe Cão Cidadão, o treino depende de paciência, de consistência e de “boa dose de motivação”.

“Um cão bem motivado pode ser treinado em qualquer idade e independentemente da raça”, afirma.

Mas, segundo ela, o tutor precisa estabelecer objetivos possíveis ao animal, e o ideal é que o treinamento seja feito por pouco tempo, várias vezes ao dia.

“Não estabeleça objetivos muito difíceis porque o cão ficará frustrado se demorar para alcançar o objetivo e ser recompensado. É isso é péssimo”, afirma.

A dica é começar com níveis fáceis e tornar mais difíceis conforme o cão for entendendo a atividade.

“Cães são capazes de falar com toda a clareza.”

A afirmação, segundo a adestradora, é baseada em várias questões, entre elas um estudo de mestrado desenvolvido pelo zootecnista e especialista em comportamento animal Alexandre Rossi. A partir de um teclado especial, ele ensinou sua cadelinha Sofia, que já morreu, e depois a Estopinha, a se comunicarem. A partir dessa ferramenta, a Estopinha consegue, por exemplo, indicar quando quer água, quando está com fome ou quando quer passear.

A ideia do “falar” não com palavras, mas por reação a partir de sinais aprendidos, é permitir que qualquer pessoa consiga entender as necessidades e interagir com o pet.

“Os benefícios de estabelecer melhor comunicação entre cães e tutores são muitos. Melhora a interação, ficam mais claras as mensagens, cães ficam menos ansiosos porque compreendem melhor o que está sendo passado e acabam sendo integrados na família. Quando temos cães que realizam vários comandos e que se comunicam de forma clara, as pessoas tendem a querer interagir, e os cães adoram ser o centro das atenções”, diz.

Para ensinar o pet a “falar” por meio de sinais arbitrários, a Cão Cidadão realizará cursos dia 19 de agosto em São Paulo e no dia 21 de outubro no Rio, ministrados por Patricia. A aula custa R$ 500, e outras informações podem ser obtidas pela página da empresa.