Rottweiler chora, alerta tutora e salva criança com convulsão

Por Lívia Marra

Quando Quiron chegou, há cinco anos, a expectativa dos tutores era que o rottweiler protegesse a casa. Mas logo ele se tornou protetor também do seu ‘irmão’ humano e, neste mês, ajudou a salvar a vida do pequeno Enzo, que sofreu uma forte crise convulsiva.

No dia em que o menino passou mal, Quiron chorou, fez barulho e chamou a atenção. Para Rhozana Diniz Menzani, 28, mãe do garotinho, o cachorro sentia que Enzo não estava bem.

O menino, que completou 7 anos na última sexta (21), tem autismo e, há sete meses, teve diagnóstico de adrenoleucodistrofia –uma doença rara e degenerativa, que ataca o cérebro e o sistema nervoso.

Ao Bom Pra Cachorro Rhozana disse que o rottweiler nunca foi treinado –“só para sentar, dar a pata”. Ele está com a família, que mora em Ibaté (SP), desde os quatro meses e sempre gostou da criança.

“No começo a gente tinha medo porque muito se falava da raça. Mas foi a melhor coisa que fizemos. Quiron foi essencial para o crescimento do Enzo. Quando ele ainda brincava no quintal, o cachorro sempre estava do lado”, disse Rhozana.

Segundo ela, há alguns dias, o comportamento de Quiron chamou a atenção. Ainda era madrugada quando o cão começou a chorar forte em sua janela. “Chamei meu marido, fomos lá fora, e, como recentemente ele tinha tido dor de ouvido, dei remédio, passamos pomada. A gente não sabia o que era.”

Pouco depois ele chorou de novo. E foi então que Rhozana percebeu a convulsão do filho.

“Fiquei com medo de ter dado remédio errado [para Quiron]. Ele chorava desesperado, como se quisesse que eu fosse para fora. Quando saí do meu quarto e passei pelo do Enzo ouvi um barulho, achei que o cachorro tivesse entrado em casa. Abri a porta e vi que ele estava em uma crise convulsiva muito forte. Quando peguei no colo, ele parou de respirar. Foi desesperador.”

A mãe, que é técnica em enfermagem, conseguiu estabilizar o menino,  que foi levado a um hospital na região.

Enzo nunca tinha tido convulsão e, apesar do avanço da doença, está melhor.

A família tem mais três cães em casa –dois sem raça definida e um chihuahua. Mas, para a tutora, Quiron salvou seu filho.

“Com certeza ele sentiu que o Enzo iria passar mal. Ele me acordou às 5h30, e a crise foi as 7h”, afirma. “Enzo está bem agora. No momento precisamos de orações.”

Enzo e o rottweiler Quiron
Enzo e Quiron, à direita. (Foto: Arquivo Pessoal/ Rhozana Diniz)