Em dias frios, horário deve ser levado em conta para o passeio

Por Lívia Marra

Sair de casa em dias muito frios não é tarefa fácil. Levar o pet para o tão esperado passeio, então, merece alguns cuidados.

Roupinha é essencial. O agasalho deve ser reforçado –e confortável– para animais de pelo curto, mas os de pelo longo também precisam proteção.

Além disso, o tutor deve adequar o horário das saídas a períodos do dia em que a temperatura esteja mais amena.

“Sugiro colocar o agasalho e verificar se o cão está querendo sair para o passeio. Cuidado dobrado com os velhinhos, já que estão mais frágeis à variação da temperatura”, afirma o veterinário Antonio Marquesim.

De acordo com ele, para evitar choque térmico, o ideal é uma saída gradativa do ambiente quente até a rua.

Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), o Brasil registra maior onda de frio dos últimos quatro anos.  Nos últimos dias, há registro de temperaturas abaixo de zero na região Sul, friagem na Amazônia e quedas atípicas nos termômetros até em regiões historicamente quentes, como Nordeste e Centro-Oeste.

Quem mora em regiões onde há geada ou neve deve avaliar o melhor momento para sair de casa e se o bichinho tem  condições para isso.

Se caminhar sobre áreas geladas e o animal se molhar, não esqueça que imediatamente depois ele deve receber cuidados. “É como na chuva. Quando voltar, precisa limpar todo o cão e secar”, lembra o veterinário.

MAIS CUIDADOS

O Bom Pra Cachorro já mostrou que, no frio, algumas doenças são mais comuns, como traqueobronquite –a chamada gripe canina ou tosse dos canis. Por isso, cuidados preventivos podem garantir o bem-estar do animal.

Manter vacinas em dia, reduzir a frequência dos banhos e não expor o pet ao vento imediatamente após a higiene são algumas medidas.

Bichinhos que vivem em quintais devem ter abrigo protegido da chuva e do vento. E eles também precisam de cobertinhas para ficar bem quentinhos.

Pensando naqueles que vivem nas ruas ou em abrigos e sofrem com as baixas temperaturas, protetores e ONGs pedem doações de roupinhas  e cobertores. Shoppings em São Paulo também têm campanhas do agasalho pet até o fim do mês.