Sua cadela vai ter filhotes? Veja cuidados

Por Lívia Marra

A gestação é um período importante também para os animais e, segundo especialistas, assim como acontece com humanos, o sentimento de transformação se intensifica quando o momento de parir aproxima. Para assegurar a saúde e bem estar da mamãe e dos filhotes, cuidados antes e depois do parto são necessários.

O ideal é que cadelas engravidem entre os 18 meses e os 5 anos de idade, e no máximo uma vez por ano.

Acompanhamento pré-natal e ultrassonografias são importantes, especialmente para saber quantos filhotes são esperados e, na hora do parto, se todos nasceram.

A GESTAÇÃO 

A gestação nos cães dura nove semanas –pode variar de 58 a 68 dias.

Segundo Carla Berl, veterinária e diretora do Hospital Veterinário Pet Care, entre os riscos estão o de morte fetal e início de aborto –e necessidade de retirada do útero–, dificuldade para partir os filhotes e de eclâmpsia pós-parto, durante a fase de amamentação.

O PARTO

De acordo com a veterinária, diferentemente dos humanos, os animais tendem a procurar um lugar tranquilo e isolado na hora do parto –que geralmente ocorre de forma natural.

O trabalho de parto começa com a dilatação da cérvix, que dura, em média, de 6 horas a 12 horas –mas pode chegar a 24 horas. 

A fêmea costuma ficar inquieta, nervosa, recusa alimentação, pode apresentar vômitos, tremores e respiração ofegante. 
Ela também pode cavar o chão. Para ajudar, o tutor pode providenciar um local calmo e para que ela faça seu “ninho”, como uma caixa de papelão com um forro macio e liso. 

As contrações vêm em seguida. A veterinária afirma que o ideal é que o nascimento de todos os filhotes dure até 10 horas. O intervalo entre o início das contrações e o nascimento de cada filhote varia de 10 a 30 minutos. 

No entanto, se cadela tiver contrações fortes por mais de 30 minutos, sem que ocorra o nascimento de um filhote,  o tutor deve procurar o auxílio  de um veterinário. 

O intervalo entre o nascimento de um filhote e de outro também varia. A cadela pode descansar por algumas horas antes de ter novas contrações, no caso de ninhadas grades.

Vale lembrar que não é indicado que as fêmeas engravidem em cios seguidos.

“Se o tutor não quer que ocorra mais nenhuma gravidez em seu pet, é recomendado castrá-lo três meses após o parto”, diz veterinária. Nos casos de cesariana, a castração pode ser feita já no momento da cirurgia.

PÓS-PARTO

Após dar à luz, a fêmea lambe cada recém-nascido para remover todas as membranas e estimular a respiração. 

Caso isso não ocorra em até três minutos, o tutor deve intervir, remover as membranas e massagear os filhotes com uma toalha macia e seca. O cordão umbilical normalmente é cortado pela fêmea com os dentes. 

A imunidade que precisam virá da amamentação, período que  pode durar 60 dias.

Bebês são irresistíveis, mas devem ficar sempre com a mãe, e serem manipulados o mínimo possível. Geralmente as fêmeas nem permitem a aproximação de humanos ou de outros animais. 

Nas primeiras quatro semanas da vida, o filhote recebe da mãe todos os estímulos e cuidados de nutrição e de aquecimento. 
Mas um veterinário deve acompanhar tudo isso. 

Tudo bem com mamãe e filhotes, só aproveitar a fofura extra dentro de casa 🙂