Falta de apetite, vômitos e emagrecimento podem ser sintomas de doença renal

Por Lívia Marra

Falta de apetite, apatia, vômitos,  emagrecimento, desidratação, vontade de fazer xixi a todo instante e sede excessiva podem ser sinais de doenças renais em pets. 

Se o problema for detectado no início, as chances de o tratamento ser bem sucedido são maiores. Porém, animais idosos estão também mais sujeitos ao desgaste natural dos órgãos, e a doença  pode atingir o nível crônico.

É o caso da  DRC (Doença Renal Crônica), alteração degenerativa de um ou dos dois rins, que não tem cura.

Especialistas dizem que os problemas renais são mais frequentes em animais com mais de seis anos; e que pets acima de 10 anos têm 81% de chance de apresentar algum sintoma.

Exames preventivos e idas regulares ao veterinário são importantes, já que coloração e odor do xixi, por exemplo, nem sempre dão pistas de que algo não está bem. 

Quanto mais cedo for diagnosticado o problema, maior a possibilidade de elevar a expectativa de vida. Em alguns casos, o tratamento pode incluir administração de soro e dieta adequada. 

De acordo com especialistas, as doenças renais estão entre as que mais atingem –e provocam mortes– de cães e gatos.

“Na maioria das vezes, o diagnóstico é realizado tardiamente. Um gato com Doença Renal Crônica, por exemplo, costuma apresentar sintomas quando pelo menos 75% dos seus rins já estão sem funcionar”, afirma Eduardo Zaneli, coordenador da Comunicação Cientifica da Royal Canin Brasil.

Segundo a marca, as raças de cães mais propensas a desenvolver a doença são  beagle, bull terrier, chow chow, cocker, pinscher, pastor alemão, lhasa apso, shih tzu, maltês, schnauzer, daschund, sharpei e poodle. Nos gatos, maine coon, abissinio, siamês, russian blue e persa.

MARÇO AMARELO 

Março é conhecido como o mês internacional de alerta e cuidado com doenças renais.

Em São Paulo, o hospital veterinário Sena Madureira realiza, até dia 20 de abril, a campanha Março Amarelo Pet.

Quem quiser participar, pode agendar orientação gratuita sobre os sintomas, prevenção e como agir. O tutor receberá folhetos e informações sobre a doença.

O telefone para agendamento é o (11) 5572-8778. Tutores de cães e gatos podem participar, especialmente animais com mais de cinco anos.