Cachorro também precisa usar protetor solar; saiba em quais regiões aplicar

Por Lívia Marra

A exposição ao sol pode causar dermatites e câncer, especialmente em peles mais clarinhas. E isso não se aplica somente aos humanos. Cães –e gatos– também precisam de protetor solar.

Focinho, orelhas, barriga e patas são os pontos mais sensíveis. Veterinários dizem que, nessas regiões, o protetor solar é indispensável e deve ser usado em todas as raças, independentemente da cor ou pelagem. Mas a preocupação é maior no caso de animais albinos ou de pelagem clara e rala –entre eles dálmatas, wippet, boxer ou bull terrier da cor branca.

“Cães de pelagem clara, com pouco pelo são mais sensíveis para desenvolver câncer ou outros problemas de pele”, diz a veterinária Carla Storino Bernardes, da Cobasi.

A dica é evitar sol das 10h às 16h, seja em passeios ou no quintal. Mas, em caso de exposição, a proteção deve ser reforçada.  E o protetor solar precisa ser reaplicado durante o dia.

Há produtos específicos para os pets. Mas também pode ser usado protetor solar comum, especialmente aqueles desenvolvidos para crianças. Fator 60 é o mais recomendado.

“O protetor para pets também tem um gosto próprio, amargo, que desestimula o animal a ficar lambendo”, afirma o veterinário Mario Marcondes, diretor do Hospital Veterinário Sena Madureira, em São Paulo.

LESÕES

Manchas avermelhadas ou lesões que não cicatrizam são os principais indicativos de câncer de pele.

“Os donos devem se atentar a lesões crostosas que não cicatrizam em regiões com menor quantidade de pelos, como por exemplo a ponta da orelha ou nariz “, diz Marcondes.

Há tratamento, mas a doença pode ser prevenida com medidas simples. E, no caso de sintomas, o veterinário deve ser imediatamente consultado.

X