Cão reflete personalidade do tutor, mostra estudo

Por Lívia Marra

Um estudo feito por cientistas austríacos comprova o que muita gente já percebeu na prática: cães desenvolvem personalidade parecida com a do tutor.

Ou seja, se o dono é calmo, o animal tende a ser tranquilo também; pets agressivos podem ser reflexo de comportamento nervoso dentro de casa. Existem também aqueles mais ansiosos, mais sociáveis, medrosos ou carinhosos.

Participaram do estudo, publicado no mês passado, mais de cem cachorros e seus tutores. Entre os testes, foram medidos batimentos cardíacos e coletadas amostras de saliva para avaliar os níveis de cortisol –considerado o hormônio do estresse. Os donos também responderam a um questionário e foram avaliados conforme cinco características de personalidade: neuróticos, extrovertidos, abertos às experiências, afáveis e conscientes. 

À BBC a cientista Iris Schoberl, da Universidade de Viena, disse que os cães conseguem captar a informação emocional das pessoas e ajustar seu comportamento.

Ainda segundo ela, a pesquisa mostrou que cão e humano interferem no comportamento um do outro –embora o ser humano seja mais influente.

“Nossos resultados comprovam aquilo que vemos na prática: os cães e seus donos são pares sociais e influenciam um ao outro na maneira como lidam com o estresse”, disse à BBC.

CARA DE UM, FOCINHO DO OUTRO

O Bom Pra Cachorro mostrou no ano passado que alguns fatores podem deixar o cão com a ‘cara’ do dono.

Na ocasião, o zootecnista e especialista em comportamento animal Renato Zanetti afirmou que genética, ambiente e aprendizado determinam o temperamento do cachorro e fazem com ele fique parecido com o tutor.

“Um ambiente calmo e que reforce esta característica do cão promoverá um comportamento calmo. Em um ambiente caótico, no qual o caos seja recompensado, não há como esperar algo diferente dos cães. Como comparação, vamos imaginar o que acontece entre pessoas: em uma família com muitos gritos, sem controle e na qual ganha mais quem chora mais, são enormes as chances de termos crianças agitadas e manhosas. O oposto também é verdadeiro.”

As semelhanças entre os animais e seus donos incluem reações, manias e expressões. Leia aqui a reportagem completa.