Após polêmica, Presidência manda retirar cartazes de campanha

Por Lívia Marra
Atualização – 11/01/2017 – Conar abre processo contra campanha ‘gente boa também mata’

Cartazes da campanha ‘Gente boa também mata’ foram retirados de várias cidades do país e serão substituídos por outros, sem imagens de pessoas, informou nesta quinta-feira (5) a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, segundo a Agência Brasil.

A campanha, sobre segurança no trânsito, foi alvo de polêmica nesta semana. “Quem resgata animais na rua pode matar”, era um dos cartazes. A campanha, feita pela agência nova/sb, conta com outras peças, como “O melhor aluno da sala pode matar”, todas seguidas por “Não use o celular ao volante. Gente boa também mata”.

Na terça-feira (3), em nota, o governo federal afirmou que a campanha seria dividida em etapas e que, nesta primeira, o objetivo seria chocar. Mas a repercussão foi negativa nas redes sociais e, para internautas, a mensagem não foi clara.

Para a Secretaria Especial de Comunicação da Presidência, que defendeu a campanha, a ideia era chamar a atenção para atitudes de pessoas comuns  ao volante, mesmo que involuntariamente, e que podem resultar em acidentes graves –como mandar mensagens de texto enquanto conduz ou desviar a atenção ao trocar uma música. O governo afirma que as mortes no trânsito estão entre as dez principais causas de óbitos no país.

Segundo a Agência Brasil, a secretaria diz que os filmes e outras peças da campanha vão continuar a ser veiculados sem alterações.

Leia também: Gestão Doria aproveita campanha alvo de polêmica e adapta ‘Gente boa adota mais um’