Câncer de mama em pets preocupa; saiba como examinar seu bichinho

Por Lívia Marra

O câncer de mama é um dos principais tumores que atingem os pets. Segundo o Conselho Federal de Medicina Veterinária, estima-se que a incidência em cadelas seja de 45%, e que  aproximadamente 30% das gatas tenham diagnóstico para a doença.

A prevenção começa em casa, com exames periódicos. E, de acordo com especialistas, a castração precoce pode reduzir significativamente o desenvolvimento da doença.

“Se a castração for feita antes do primeiro cio, até os nove meses, a chance de desenvolver a doença cai para 0,5%”, afirma Mario Marcondes, diretor do Hospital Veterinário Sena Madureira, em São Paulo.

Segundo ele, há predisposição genética, mas o câncer de mama pode afetar qualquer raça e ser mais frequente a partir dos cinco anos.

“Quando é feito o ‘autoexame’ e detectado precocemente, a chance de cura é alta, sem necessidade de quimioterapia”, afirma. “Quanto mais cedo for detectado o problema, maiores serão as chances de cura.”

IDOSOS

A atenção deve ser redobrada no caso de animais idosos. “O câncer é uma doença que acontece de forma mais frequente em indivíduos mais velhos”, afirma Andrigo Barboza de Nardi, médico-veterinário e professor da Unesp.

“Temos percebido um aumento da incidência de tumores em cadelas e gatas em geral, e uma das razões é o aumento da expectativa de vida. Atualmente, graças ao uso de vacinas, da prevenção de doenças infectocontagiosas, a uma boa alimentação e aos cuidados regulares dos médicos veterinários, cães que viviam 10 ou 12 anos hoje vivem até 20 anos. Isso está diretamente ligado ao aparecimento das lesões”, diz.

COMO EXAMINAR O PET

Conforme o Conselho Federal de Medicina Veterinária, o dono deve colocar o pet de barriga para cima, para analisar todas as mamas.

Além de buscar nódulos, o dono deve ficar atento a qualquer aumento de volume das mamas. As lesões podem ocorrer em uma ou mais glândulas e ter tamanhos diferentes.

O exame deve ser feito periodicamente, através da palpação de todas as mamas.

No caso de alterações, o diagnóstico deve ser confirmado em consultório e, se necessário, com exames. O principal tratamento é por meio de cirurgia.

“O ideal é que o animal vá ao médico ao menos uma vez por ano, para as vacinas, e ali já faça o exame para detectar o problema. Mas pode aparecer um nódulo a qualquer momento e crescer rapidamente. Por isso é importante, ao acariciar a barriguinha, já apalpar as mamas também”, afirma Mario Marcondes.

Animal durante exame das mamas (Divulgação)
Animal durante exame das mamas (Divulgação)