Empresa oferece licença a funcionário que adotar animal

Por Lívia Marra

 

 

15316303
(Foto: Divulgação)

Ter um novo bichinho em casa pede adaptação –do animal e do dono. Para incentivar adoções e dar tempo para os dois lados estreitarem os laços, uma empresa de tecnologia que atua no Brasil vai começar a dar licenças especiais aos tutores –além de um kit que inclui porta-retrato e bola.

“Estudos comprovam o bem que o convívio diário com animais faz aos humanos”, diz Sílvio Trindade, diretor de Recursos Humanos da CA Technologies para América Latina. “Com a adoção, os bichos ganham um lar e o ser humano passa a ter uma rotina de menos sedentarismo e estresse”, afirma.

A medida faz parte da política global da empresa e atinge seus 11 mil funcionários. Com isso, o trabalhador que tenha adotado um gato ou cachorro desde janeiro de 2016 terá direito a três dias de licença remunerada –a data deve ser alinhada com os gestores para não afetar o trabalho.

A empresa também estende uma prática geralmente aplicada aos humanos: até três dias de licença em caso de morte do pet. “É importante que a pessoa tenha tempo de elaborar seu luto e lidar com esse sentimento”, diz Trindade.

ANIMAIS NO TRABALHO

A medida anunciada ocorre em um momento em que mais empresas no Brasil têm permitido que seus funcionários levem seus bichinhos de estimação para o trabalho.

“As empresas têm adotado a prática com o objetivo de tornar o ambiente mais agradável para os colaboradores. E tem dado certo”, diz a psicóloga Marília Zampieri.

A psicóloga afirma que ‘pet days’ –quando os animais são levados ocasionalmente ao local de trabalho– favorecem mais a integração entre os trabalhadores, enquanto empresas que permitem a presença contínua dos bichinhos tendem a conseguir mais alivio do estresse.